Links

Alguns links que podem auxiliar no processo de doação:

Ligue e saiba como doar: 0800 773-9973

Informações sobre doação de medula óssea
http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=64

bellapimenta

Olá, sou a Shirley, mãe da Isabella Chiemih Hiramatsu Pimenta, conhecida como Isa Chiemih, Bella Pimenta, Pimentinha, e por aí vai… Ela é estudante do 8° ano do Colégio Olimpo em Brasília e tem muitas histórias pra contar…

A batalha que trava contra a leucemia é uma delas. Já venceu e mapeou a doença uma vez… Sem dúvidas, vencerá desta vez também!

Em dezembro de 2012, foi diagnosticada com Leucemia Linfóide Aguda. Todos nós ficamos chocados com o resultado do mielograma; a Bella soube que havia algo errado ao ver nossas expressões faciais. Procurei as palavras certas para definir a doença, porque não queria usar o termo “câncer” por ser uma palavra que possui um estigma muito forte, quase uma sentença. E também, acho que ela não entenderia direito, acho que foi melhor assim.

E como é de praxe agradecer tudo que acontece, agradeço e ainda ouso dizer que ela…

Ver o post original 440 mais palavras

Anúncios

Olá, pessoas queridas!

Olá, sou a Shirley, mãe da Isabella Chiemih Hiramatsu Pimenta, conhecida como Isa Chiemih, Bella Pimenta, Pimentinha, e por aí vai… Ela é estudante do 8° ano do Colégio Olimpo em Brasília e tem muitas histórias pra contar…

A batalha que trava contra a leucemia é uma delas. Já venceu e mapeou a doença uma vez… Sem dúvidas, vencerá desta vez também!

Em dezembro de 2012, foi diagnosticada com Leucemia Linfóide Aguda. Todos nós ficamos chocados com o resultado do mielograma; a Bella soube que havia algo errado ao ver nossas expressões faciais. Procurei as palavras certas para definir a doença, porque não queria usar o termo “câncer” por ser uma palavra que possui um estigma muito forte, quase uma sentença. E também, acho que ela não entenderia direito, acho que foi melhor assim.

E como é de praxe agradecer tudo que acontece, agradeço e ainda ouso dizer que ela teve sorte; no sentido de ter sido assistida por profissionais competentes nessa trajetória:

A dra. Juliana França foi quem deu o diagnóstico, cuidou da Bella no primeiro mês e nos mandou para São Paulo para dar continuidade ao tratamento;

A dra. Ana Virgínia, da equipe do dr. Sérgio Petrilli, nos acolheu tão bem que inspirou confiança desde o primeiro momento;

As enfermeiras Vânia e Fátima do Grupo de Oncologia Pediátrica, que puncionavam o port a cath e cuidavam da medicação da Bella.

Com a participação dessas pessoas, a Bella sentiu que sair da zona de conforto nem sempre é traumático… Sair de Brasília pra morar em São Paulo, à primeira vista parecia uma loucura; distanciar dos amigos, da escola, da academia, da vida social, era um preço muito alto, mas em compensação, teria o garantido encontro com os primos nos fins de semana, comer os pastéis do Mercado Municipal, comprar bugigangas na rua Vinte e Cinco de Março, passear pelas ruas da Liberdade… se teria que pagar um preço alto; gozaria do bônus também…

Mas não foi bem assim, entre as quimioterapias e períodos de calmaria, tinham as intercorrências e baixa imunidade, o que inviabilizava o encontro com os primos, as idas ao cinema e shopping.

O tratamento durou 11 meses, entre quimioterapias, internações e transfusões de hemoderivados. Mas não foi só isso… também tivemos muitas risadas, tráfico de comidinhas, solidariedade e sobretudo Fé. E garra, e força, e vontade, e energia, e perseverança, e… surpresas!

Receber visitas de familiares e amigos sempre é um santo remédio… Expresso minha gratidão aos meus familiares que contribuíram para a melhora da Bella: seja emocional, gastronômica ou cultural; Tita, o quarteto Susy/Flávia/Masako/Sergio, Maria e Yassuo, Sumie, Marcelo, Marco e Mary, professor Sussumo e Vera, Bete, Newton Pons…

Receber amigos de Brasília que vieram visitar minha Bella, foi mais do que uma simples surpresa; foi um presente maravilhoso! Por causa do tratamento, ela teve que ficar todo esse tempo em SP, sem poder viajar. E então alguns amigos vieram visitá-la, por isso deixo registrada minha gratidão às pessoas que fizeram a diferença: à família Tegoshi e família Yamanaka que sempre nos apoiaram, Letícia, que passou dois dias dando um colorido diferente no fim de semana; à Carolinda e Edileusa que nos acompanharam no garimpo de bugigangas na 25 de março; ao Ferretti amigo sempre presente; ao Juniti amigo solícito e doador e ao Fábio que nos alegrava com seu jeito divertido.

E tem os amigos que não puderam nos visitar, mas que mandaram energias e vibrações positivas, orações, pensamentos de luz e as inúmeras cartinhas. Sou grata a todos que contribuíram para a melhora da Bella…

Voltamos para Brasília em dezembro de 2013, as amigas foram recepcioná-la no aeroporto. Foi emocionante saber o quanto ela é amada… Fechamos o ano de 2013 com festas, reencontros, muita alegria e sobretudo saúde restaurada!

Fim da primeira parte…